• image
  • image
  • image
  • image
  • image
Previous Next

Ceará: ensino de Astronomia dá ao Colégio dos Bombeiros mais de 400 medalhas em provas

 

 

 

 

 

Autor Danrley Pascoal

 

04:30 | Dez. 03, 2021 

 

O Projeto nasceu como uma ação para aumentar o interesse dos estudantes nas disciplinas de física e química; resultados nas competições nacionais acontecem desde 2016.

Disciplina de Astronomia é obrigatória na instituição, e visa gerar interesse nas áreas de física e química; em cinco anos, estudantes ganharam mais de 400 medalhas (foto: Divulgação/SSPDS)

 

 

A Astronomia, disciplina obrigatória para os alunos do 7º Ano do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros Escritora Rachel de Queiroz (CMCB-ERQ) desde 2016, tem rendido bons frutos à escola. Após a inclusão da disciplina na grade curricular, o interesse e a dedicação dos alunos garantiram mais de 400 medalhas em edições da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), da Mostra Brasileira de Foguetes (MoBFog) e da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC).

 

Em 2017 foram 35 medalhas conquistadas na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). No ano de 2018, os estudantes do 7° Ano do Ensino Fundamental ao 2° ano do Ensino Médio do CMCB-ERQ trouxeram para o Ceará 77 medalhas somadas da OBA e da MOBFOG, sendo 35 de ouro. Já no ano de 2019, a equipe participou também da ONC, nas três competições os estudantes ganharam 108 medalhas, sendo 48 de ouro. Em 2020, foram acumuladas 92 medalhas, sendo 40 de ouro. Este ano, foram conquistadas 118 medalhas, sendo 52 de ouro, nas três competições nacionais. Somando nesses 5 anos 430 medalhas.

 

O projeto foi idealizado pelo tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará, Francisco Albert Einstein Lima Arruda e nasceu como uma ação para aumentar o interesse dos estudantes nas disciplinas de física e química.

“A astronomia é uma matéria interdisciplinar que me ajudou não só em física e em matemática, mas também em ciências e geografia, além de desenvolver o raciocínio lógico. Estudar astronomia também me fez reparar mais no céu e me levou a observar diversos processos astronômicos, como chuvas de meteoros e eclipses”, exaltou André Venâncio, aluno do 1° Ano do Ensino Médio, vencedor de quatro medalhas de ouro na OBA, além de um ouro e uma prata na Mobfog.

Segundo o professor e tenente do CBMCE Romário Fernandes, que tem especialização no ensino de Astronomia, o interesse dos alunos o motiva a sempre mudar a metodologia e a dinâmica da aula para intensificar o desejo de cada um.

“A sala de aula para mim é um espaço que se expande muito além das limitações impostas pelo teto e pelas paredes. É onde o universo se descortina aos meus olhos com uma beleza comparável a do céu estrelado numa noite sem Lua e sem nuvens. Ali, a singularidade de cada aluno me convida a desenvolver as melhores estratégias de observação e estudo, de forma a permitir que o máximo brilho de cada um possa vir à tona. É meu desafio e também minha realização”, relata.

Mais sobre o assunto Educação:

· Inep divulga gabaritos oficiais do Enem;

· Núcleo de Línguas da Uece abre seleção para cursos de idiomas;

· Como homenagem, filha de agricultores leva abacaxi para a colação de grau;

· Irmãos cearenses serão premiados em Brasília após conquista de medalhas em olimpíada;

· Ceará investe R$ 24 milhões em 1.100 bolsas de mestrado e doutorado;

· Prazo para solicitar replicação do Enem termina nesta sexta-feira;

· MEC lança programa para fomentar qualificação profissional;

· Alunos de Ocara fazem protótipo de descastanhador e ganham prêmio nacional;

· Equipe do IFCE vence competição da Huawei; UFC e Uece levam terceiro;

· Cearense é campeão brasileiro dos Jogos Paralímpicos Escolares de tênis de mesa;

· Estudante de Juazeiro do Norte é vice-campeã no mundial de robótica.








 

Quem está on-line

Temos 17 visitantes e Nenhum membro online

g1

RSS do g1